Copy
Salve, salve, amigos da Trivela! Tudo bem com vocês? Aqui, Felipe Lobo que escreve e quero, antes de tudo, agradecer às muitas contribuições para a nossa série sobre entidades místicas do futebol. Vocês são fantásticos, cheios de grandes ideias que anotamos com carinho. Vocês verão algumas duas suas ideias por aqui nas próximas semanas, porque teremos que estender a série para incluir as ótimas sugestões que vocês nos mandaram. Responderemos a elas uma por uma. E podem continuar mandando! Nosso e-mail (redação@trivela), Facebook e Twitter espera por vocês, que são os melhores leitores do mundo.

Só você que me ilumina, meu pequeno talismã
Como é doce essa rotina de te amar toda manhã
Nos momentos mais difíceis você é o meu divã


“Por que ele não é titular? Sempre que ele entra vai bem”. Quantas vezes você já ouviu isso falando de um jogador? Há muitos exemplos, no passado e no presente. O talismã normalmente é um jogador que não tem muita qualidade para ser o titular do time. Chega aquele momento que ele começa a entrar, marcar seus golzinhos mesmo com pouco tempo em campo e se torna um xodó da torcida. Se cria uma ilusão que aquele jogador é melhor do que ele é, porque consegue converter em gols ou boas jogadas os poucos minutos que entra em campo.

O Corinthians teve, durante muito tempo, Tupãzinho, um jogador histórico do clube. Autor do gol no jogo decisivo contra o São Paulo, no Brasileirão de 1990, acabou tornando-se reserva. Mas ficou no clube por longos seis anos, até 1996. Quase sempre reserva. Ele se tornou o maior talismã do time. Durante anos, foi um jogador emblemático que vinha do banco de reservas para “colocar fogo no jogo”. Em geral, isso não funcionava. Mas a imagem era que funcionava, porque algumas vezes ele marcava gols, ou fazia a jogada do gol. E aí, a mística se torna maior que o jogador.

O jogador talismã é como o horóscopo que se lê de manhã. Se errar, ninguém se lembra. Mas se acertar, a mística ganha ares de premonição. “Sempre que ele entra, resolve”. E a memória afetiva cria a imagem de um jogador que resolvia, mas que na verdade tinha mais carisma do que qualquer qualidade técnica. Como titular, Tupãzinho nunca se tornou um atacante que realmente se destacava. Não era um jogador cheio de recursos técnicos, estava longe de um grande craque. Mas tinha o carinho da torcida e a mística.

O Flamengo teve uma relação parecida com Caio, atualmente conhecido como Caio Ribeiro, comentarista da Globo. Vestindo a camisa 16 – em uma época que os titulares sempre jogavam com numeração de 1 a 11 -, Caio entrava nos jogos e ganhava a imensa massa rubro-negra com os gols que marcou em finais de jogos e com boas atuações – mas só quando vinha do banco.

Caio tinha sido jogador de seleção (poucos jogos), com passagem pela Europa (um fracasso) e grandes times (sem se destacar mesmo por nenhum). Tinha suas qualidades técnicas, mas nunca pareceu suficiente para ser o titular do Flamengo. Mas entrando durante o jogo, fazia a alegria do povo que frequentava a geral e comemorava com o atacante. Mesmo não tendo feito tantos gols assim. Foram só 17 em 91 jogos pelo Flamengo. Os gols que marcou na final da Copa Mercosul, em 1999 – dois no primeiro jogo, no Maracanã, e um no jogo de volta, no Parque Antártica – deixaram a impressão que Caio era sempre decisiva quando entrava no segundo tempo.

Euller, no Palmeiras de 1999, também viveu uma situação assim, entrando no segundo tempo dos jogos para “colocar fogo no jogo”. No Palmeiras atual, Cristaldo é o xodó, que entra no segundo tempo das partidas, marca gols e acaba caindo nas graças dos torcedores. Mesmo que, quando comece jogando, não consiga ter atuações de destaque. Os gols nem são tantos, mas assim como a temperatura real nem sempre é a mesma da sensação térmica, o jogador talismã costuma ter uma mística muito maior do que o seu real desempenho em campo. Talismã mesmo só na música do Elson do Forrogode (de onde tirei os versos que abrem o texto).

Nós gostamos da mística porque ela não é racional. Nem sempre há motivos para gostar daquele jogador, mas ele nos lembra uma sensação deliciosa de fazer um gol no final do jogo que ele entrou, uma sensação que isso irá acontecer de novo. Um componente de fé. E futebol tem muito de fé. Uma fé que por vezes é cega.

Embora seja um meio cercado de superstições, o futebol é laico.
PROGRAMAÇÃO DE TV.  A Bundesliga está de volta e é o nosso grande destaque no Roteiro do fim de semana. Diferente do que acontecia nos últimos anos, a Bundesliga será transmitida por dois canais, Fox Sports e ESPN. Como sempre, você pode conferir outros jogos interessantes, além da programação completa de TV. VEJA O ROTEIRO COMPLETO

Manchester City x Chelsea
Domingo, 12h00 – Fox Sports

Manchester City e Chelsea não são rivais históricos. Mesmo assim, a disputa pelo título levou os dois times a entrarem em jogos acirrados nos últimos anos, tornando-se rivais por disputarem exatamente o mesmo: o título inglês. José Mourinho leva o Chelsea para tentar a primeira vitória depois de empatar na estreia contra o Swansea, em Londres. Já Manuel Pellegrini, técnico do City, tenta embalar duas vitórias depois de começar com triunfo sobre o West Bromwich fora de casa. São dois dos favoritos ao título na Inglaterra e tem tudo para ser um jogo eletrizante.


VEJA A PROGRAMAÇÃO DE TV COMPLETA
PROTESTOS DA ARBITRAGEM. Todo dia A arbitragem resolveu protestar e nós mostramos as razões que levaram a isso, mas discutimos a questão. Mais do que uma questão sobre artigo de lei que destina dinheiro a árbitros, temos que discutir o papel da arbitragem e a sua profissionalização, além de terem sido agentes repressores em outros protestos, como os da torcida e dos jogadores pelo Bom Senso. LEIA O POST COMPLETO.

Também resgatamos o nosso especial sobre arbitragem, onde discutimos várias questões importantes sobre o assunto. Tentamos responder cinco perguntas sobre os árbitros, sobre os manda-chuvas, a subjetividade, o sorteio, o replay e as novas orientações. VEJA O POST COMPLETO.

 
GUARÁ ITINERANTE. Marinho, O Guaratinguetá é um time de empresários, que já recebeu o amor e o ódio dos moradores da cidade homônima no Vale do Paraíba. Desta vez, porém, a coisa foi muito além do esperado. O time irá mudar para Curitiba, onde será uma filial do Atlético Paranaense e terá o nome de "Atlético Guaratinguetá" (mesmo ficando no Paraná). Contamos esta e outras histórias no Lado B de Brasil da semana. VEJA O POST COMPLETO.
A CAMISA DA SEMANA.  O Nacional é um clube bastante tradicional de São Paulo, mas que não é tão conhecido nacionalmente como o Juventus, da Mooca. Mesmo assim, é um símbolo do futebol alternativo. A Liga Retrô resolveu lançar um uniforme do clube em alusão ao título da Copa São Paulo de Futebol Júnior de 1988. A camisa é oficial e ficou um primor. VEJA O POST COMPLETO.

VEJA MAIS CAMISAS NA TRIVELA.
O FUTEBOL NA MINHA VIDA.  A contribuição de hoje é da nossa leitora Gabriele Martinez, que nos mandou a foto e a descrição.

"16 de junho de 2003 (a foto é exatamente desse dia). Meu aniversário de cinco anos. O tempo passa, e hoje eu já tenho 17 anos. Não que eu seja velha, mas 12 anos não é pouca coisa. Apesar de todo esse tempo, tenho a lembrança exata da noite daquele dia. Depois de jantar, vou com meu até a loja de esportes mais próxima. Ele pede o uniforme completo infantil do Corinthians. Meu sorriso abre de ponta a ponta. A cena fica na memória. A coleção de camisas aumentou durante esse período, mas é difícil alguma bater essa em questão de história".


Mande também a sua história para o nosso e-mail (redacao@trivela.com), Facebook ou Twitter.
 
O MAIS LEGAL QUE LEMOS NA SEMANA. Um dos grandes motivos de discussão sobre jornalismo e imprensa esportiva é sobre a qualidade do debate, seja nos jornais, nos veículos impressos como um todo, nas rádios, TV ou internet. Carlos Guimarães, um excelente jornalista, publicou no Medium um texto que fala sobre a variedade de estilos da imprensa esportiva e como você, leitor, espectador, internauta, faz a sua imprensa esportiva. Há vários tipos de jornalismo esportivo. E se você reclama constantemente do jornalismo esportivo, então talvez seja hora de começar a procurar nos lugares certos. Vale a pena ler o texto completo.

VEJA TODAS AS DICAS DE LEITURA DA TRIVELA.
Mais uma vez, agradeço a todos vocês pela participação e pedimos que mandem sugestões. Não gostou de alguma seção? Quer propor uma melhoria? Quer participar? Vem com a gente!
Um abraço!
Felipe Lobo


Gostou do papo? Acompanhe a Trivela no Facebook e no Twitter. Bom conteúdo cria boas conversas. Boas conversas melhoram o mundo. É isso que nos motiva a escrever para você.
Facebook
Twitter
trivela.com.br
Copyright © *2014* *Trivela*, Todos os direitos reservados.
*Leia todas as edições* Você se cadastrou no site Trivela.com.br, por isso está recebendo esta mensagem.

Our mailing address is:
F451
São Paulo
SP, br 01451001
Brazil

Add us to your address book


Cancele sua assinatura    Atualize seus dados