Copy
Boletim do blog Algumas Observações.

Você já sonhou algo que parecia impossível?


Quando eu comecei o meu blog, lá em 2006, era uma adolescente que queria escrever e, sobretudo, queria um espaço para registrar tudo aquilo que estava, de algum modo, na minha cabeça. Naquela época, ter blog era coisa da moda, a comunidade blogueira era bem engajada, a gente mal tinha redes sociais (Fotolog, Orkut, Twitter e Flickr, talvez?) e a cultura de dar likes não existia. De lá para cá, muita coisa na minha vida pessoal e profissional mudou: relacionamentos foram feitos e desfeitos, troquei de trabalho três vezes, me formei e me pós-graduei... Entretanto, o desejo e a sede de continuar escrevendo e tendo um espaço para registro continuram a mesma.

Segui mantendo o blog que, assim como eu, também mudou e se profissionalizou. E é nesse processo todo que entra um dos meus sonhos aparentemente impossíveis: trabalhar texto, sobretudo, com literatura. É engraçado como a gente caminha – às vezes às claras, às vezes às cegas – em busca dos nossos objetivos – mesmo menosprezando-os de vez em quando. Quem nunca tratou algo como “é só um hobby”, porque tinha medo de fracassar se levasse tal atividade a sério, que atire a primeira pedra.

A princípio, sempre quis ser professora – profissão que hoje exerço dando o melhor de mim, apesar dos perrengues nossos de cada dia – e aos poucos fui notando que a minha vida mora também na palavra escrita. Só que ser escritora, assim como qualquer profissão, é algo que exige tempo, formação, prática insistente e paciência. Trabalhar com texto em um país cuja a maior parte da população não sabe interpretar o que lê é um desafio. Fora a desvalorização da arte em si. Por muito tempo me questionei se teria forças para encarar mais uma carreira que também é desvalorizada socialmente.

A decisão veio de forma gradual. Cá estou eu, 12 anos depois do início do Algumas Observações, recomeçando a cada dia minha incursão no universo da escrita: a cada novo texto, uma nova descoberta. A cada cliente que me contrata para fazer revisão ou leitura crítica de seus textos, um novo deleite. A cada cliente que volta pedindo a leitura de outro dos seus textos, a satisfação por saber que contribuí para a sua literatura. A minha decisão foi gradual; entretanto, acertada. Quanto mais o tempo passa, mais me sinto certa disso.

Desde que tomei coragem de me assumir escritora e que fui buscar tudo aquilo que pudesse me ajudar nessa jornada (cursos, palestras, grupos de leitura, clube de escrita, saraus etc.), os trabalhos passaram a chegar e a fluir de um modo inesperado. Eu sei que, falando assim parece algo que aconteceu da noite para o dia (e eu tenho consciência que não, que tudo é fruto desses 12 anos de trabalho); mas, olhando para trás, aquele sonho tão distante nem era tão impossível assim, sabe? Esse é o ponto principal dessa conversa que queria ter com você hoje: pode demorar algum tempo, pode não ser exatamente como planejamos, mas os nossos sonhos não são impossíveis. Só que é aquilo: nessa era imediatista, estamos prontos para arregaçar as mangas, trabalhar duro e esperar o tempo necessário?

Falo tudo isso, porque vejo muito por aí pessoas que desistem no primeiro “não deu certo” ou que nem ao menos tentam. Ao fazer isso, essas pessoas perdem a oportunidade de maturação tanto as realização do sonho, quanto do próprio processo de amadurecimento. Fico assustada principalmente quando vejo esse tipo de comportamento nos meus alunos, que ainda são crianças, e que estão crescendo com esse tipo de mentalidade. Vejo essa desistência sem persistência com profunda tristeza. 

Devo dizer, contudo, que essa provocação não é apenas para você que me lê, ela também serve para a minha cabeça que tende a se perder em pensamentos catastroficamente acelerados de tanta ansiedade. No fundo, este texto também é um lembrete de que, sim, tudo tem o seu tempo. Ele é necessário para tornarmos o impossível realidade.

E você, o que me diz? Você tem algum sonho guardado lá no fundo, que acha que é impossível de ser realizado? O que te impulsiona e o que te limita? Adoraria trocar uma ideia contigo sobre isso. Responda a este e-mail e me conte!

Novidade em primeira mão para quem recebe a newsletter

O que elas contam?


Há um tempinho a Cartola Editora abriu seleção para uma coletânea chamada O que elas contam? (curadoria por Janaína Storfe), cujo objetivo era publicar textos escritos e protagonizados por mulheres. Resolvi enviar um conto, intitulado "Paradigmas", e acabei sendo selecionada para fazer parte deste projeto. 

A princípio teremos apenas a obra online, mas você pode nos ajudar a tornar o sonho da publicação em livro físico realidade! Está rolando uma campanha no catarse para a publicação da coletânea no bom e velho papel. Se conseguirmos atingir a meta com folga, talvez a editora consiga até fazer evento de lançamento! Então, dê aquela força, sim

O que aconteceu no Algumas Observações?


Desde a última newsletter, o blog foi atualizado com muito conteúdo bacana. Escrevi uma carta para o Carlos Drummond de Andrade, um poema sobre o perdão, como foi a conversa com a escritora Aline Bei (vencedora do prêmio São Paulo de Literatura e autora do livro O Peso do Pássaro Morto), e as resenhas dos livros Todo Poeta é um Bar, de Fabrício Corsaletti, e O Pedaço da Coxa de um Anjo, de Pedro Tavares.

Contato


Fiz um cartão de visitas maroto e já estou espalhando essa gracinha pelo universo. Agora é fácil de as pessoas saberem onde me encontrar e, principalmente, o que eu faço. Então, se você precisar de algum desses serviços, me chama que eu vou! ;)

Fica a dica

 

Para quem gosta de literatura e está em São Paulo, os próximos dias estarão cheios de eventos. Veja só:
 
Na imagem os cinco Backstreet Boys e seus respectivos filhos. Foto: People magazine.

Para quem gosta de música, Backstreet's Back alright! Gente, "meus mozões" estão de volta com um vídeo lindo! A música, Chances, tem entre os seus compositores Ryan Tedder (do One Republic) e o Shawn Mendes.

Eu sou suspeita para falar alguma coisa - vocês sabem o quanto eu sou fã -, mas assistam, porque a dança contemporânea que há no final é maravilhosa (spoiler, sorry!)! ♥
Compositores:  Zach Skelton, Casey Smith, Fiona Bevan, Ryan Tedder, Shawn Mendes, Geoff Warburton, Scott Harris
Produção: Ryan Tedder & Zach Skelton
Beijos, queijos, bom feriado e até a próxima!
Fernanda Rodrigues
Copyright © 2018 Algumas Observações, All rights reserved.


Want to change how you receive these emails?
You can update your preferences or unsubscribe from this list.

Email Marketing Powered by Mailchimp